CUIDADOS COM O SOL

Preste atenção para não se queimar pois o bronzeado já é um sinal de dano à sua pele causado pelo sol. E é um dano que se acumula, dia após dia, por toda a sua vida.

Efeitos benéficos
A luz do sol promove a síntese da vitamina D, necessária para fortalecer os ossos e evitar o raquitismo. Há também evidência de uma ligação entre exposição solar, produção aumentada de hormônios e melhora da disposição e do humor. Isto parece ter um papel importante na manutenção da saúde mental e dos ritmos circadianos. A privação prolongada de luz do sol, tal como ocorre em países do extremo norte durante o inverno, pode levar a distúrbios de ordem afetiva sazonal, caracterizado pela conhecida depressão nos invernos.

Efeitos maléficos
As alterações que ocorrem na sua pele pela exposição ao sol são: bronzeado, queimadura, sardas, reações de fotossensibilidade, imunossupressão, entre outras.
Essas alterações levam anos para se desenvolver e causam: rugas, manchas, perda de elasticidade e fotoenvelhecimento
Alterações graves como o câncer de pele podem ser letais e a maioria deles resulta de exposição excessiva à luz do sol. Os principais tipos são o carcinoma basocelular, o carcinoma espinocelular, epidermóide ou escamoso, e o melanoma. O câncer de pele é completamente curável quando tratado em seus estágios mais precoces.

Todo mundo necessita se proteger do sol. Não importa a idade ou cor da pele.
O cuidado deve ser redobrado para quem tem a pele muito branca, olhos claros, cabelo vermelho, sardas, pessoas cuja pele se queima muito, mesmo com pouca exposição ao sol, bebês e crianças pequenas, pessoas com vitiligo, albinismo, porfirias, xeroderma pigmentoso, lupus eritematoso, eczema, rosácea e herpes simples.

Quando a pele é exposta à radiação ultravioleta, uma resposta da pele para se proteger tem início. As células chamadas de melanócitos, presentes na epiderme, produzem o pigmento melanina. Essa melanina pode absorver radiação UV e proteger a pele. Pessoas com pele mais escura têm a mesma quantidade de melanócitos que aqueles com pele clara, mas podem produzir mais melanina, o que lhes dá maior proteção.

Limite seu tempo no sol, apesar da hora ou estação. Evite pegar sol entre 10 da manhã e 4 da tarde, quando raios de sol são os mais fortes. Procure ficar na sombra.

Cubra-se com roupas apropriadas, chapéu e óculos escuros.

Protetor solar, filtro solar, fotoprotetor ou fotobloqueador
Use um protetor solar com fator de proteção solar (FPS) 15 ou mais alto sempre que você estiver ao ar livre, até mesmo para esperar um ônibus na rua. Ele pode reduzir a incidência da maioria dos tipos comuns de câncer de pele e diminuir o envelhecimento precoce da pele.
Escolha um protetor solar com ingredientes que bloqueiam tanto os raios ultravioleta B quanto os ultravioleta A. Quanto mais alto o número do FPS, maior a proteção contra o sol.
Se possível, aplique-o 15 a 30 minutos antes de sair ao sol e reaplique o protetor solar se você suar, nadar, ou pelo menos de 2 em 2 horas. Atenção particular deve ser dada à proteção das mãos, ombros, orelhas, pescoço, nariz, pés, lábios e a área em volta dos olhos. Evite contato com os olhos e pálpebras.

Os protetores solares não devem ser aplicados em bebês com menos de 6 meses.

Fique bem longe de dispositivos de bronzeamento artificial como camas, refletores ou lâmpadas, a radiação ultravioleta emitida por lâmpadas artificiais é muito mais intensa que a luz do sol natural. Pode haver queimadura, envelhecimento prematuro da pele, e com certeza haverá no futuro um maior risco de câncer de pele.

Preste particular atenção aos bebês e crianças
Proteja suas crianças e comece a lhes ensinar como se proteger do sol bem cedo na vida.
Proteja-se mesmo em dias nublados. As nuvens fornecem pouca proteção contra raios ultravioleta.

Proteja-se se você mora ou passa férias em latitudes mais perto ao equador, onde o sol é mais potente.

Quanto maior a altitude em relação ao nível do mar mais intensa a radiação ultravioleta.

Água, areia, concreto e neve estão altamente reflexivas e por isso a radiação alcança a pele até mesmo na sombra.

Reações de fotossensibilidade são reações anormais e exageradas à exposição ao sol. Alguns medicamentos como certos antialérgicos do tipo antihistamínicos, fenotiazidas, tetraciclinas, pílula anticoncepcional e barbitúricos, entre outros, podem fazer com que a pele fique mais suscetível a queimaduras ou provocar reações como erupções, vermelhidão e inchação da pele. Indivíduos com doenças como vitiligo, lupus eritematoso e herpes simples, ou recebendo radioterapia também podem ser ter maiores problemas após a exposição solar.

Alergias ao protetor solar são raras. Isto pode ser devido ao agente ativo do produto ou aos outros ingredientes do protetor solar, tais como fragrâncias e preservativos. Se você desenvolver uma erupção ou vermelhidão, tente um produto diferente. Se a reação for intensa, consulte seu dermatologista.

O sol e a pele do seu bebê

Proteger seu bebê do sol é o melhor investimento você pode fazer para o futuro dele.

Assim como você veste seu bebê convenientemente e limita o tempo no exterior quando está frio, você deveria fazer o mesmo e protegê-lo contra o sol.

Faça disto um hábito: examine regularmente sua pele e a de seu filho

A pele de seu bebê é mais vulnerável. A irritação se desenvolve nele mais facilmente, apesar de sua pele se curar mais rápido do que a pele mais velha.

Um bronzeado intenso pode causar desidratação, febre, desmaio, delírio, choque, pressão sangüínea perigosamente baixa e batida irregular do coração.

Em caso de bronzeamento intenso:
Para um bebê de menos de 1 ano, o bronzeado deveria ser tratado como uma emergência. Chame o médico imediatamente.
Para uma criança de mais de 1 ano, chame o médico se houver dor intensa, bolhas, letargia (moleza), ou febre acima de 38.3oC.

Tome os seguintes cuidados para aliviar o desconforto:
Dê água ou suco para repor líquidos, especialmente se sua criança está não urinando regularmente.
Dê acetominophen se a temperatura estiver acima de 101oF.
Aplique água em temperatura ambiente para refrescar a pele.
Loção hidratante ajuda a pele, mas aplique-a sem esfregar. Se o toque da pele for doloroso, evite aplicar a loção.
Loção de calamina pura pode ajudar, mas nunca use nada com anti-histamínico associado.
Não aplique álcool, que pode piorar a pele.
Não use qualquer creme com medicação, ex. hidrocortisona, benzocaína, a menos que o médico de seu bebê o prescreva.
Mantenha sua criança inteiramente fora do sol até que o bronzeado passe.

A maioria dos adultos não ensina às crianças como praticar uma boa proteção ao sol porque elas mesmas não estão realmente convencidas de que a exposição exagerada ao sol pode ser maléfica.

Seu médico pode ajudá-lo na prevenção, mostrando-lhe como examinar sua pele para a verificação de sinais de câncer de pele ou outros problemas. O apropriado cuidado com a pele também deveria incluir a avaliação periódica feita por um dermatologista, especialista pela Sociedade Brasileira de Dermatologia. Dermatologistas são médicos especializados em pele. Eles recebem treinamento específico para lhe ajudar a proteger a pele sã e a tratar seus problemas e doenças de pele.


acne | aftas | automedicação | boca| BOTOX®/DYSPORT® | caspa | cuidados com o sol | Dermatologista | Dermatoscopia | odores nos pés | peeling químico| pele do bebê | queda de cabelo | rejuvenescimento| sua pele | unhas


Dra. Marcia Ramos-e-Silva // Dermatologia clínica, cirúrgica, estética e oral // www.dermato.med.br